top of page
  • Foto do escritorAna Luiza de Figueiredo Souza

Qual a diferença entre os discursos de agradecimento de Ali Wong e Ryan Gosling no Globo de Ouro?

Ali Wong fez História na mais recente edição do Globo de Ouro por ser a primeira atriz amarela a levar uma estatueta na categoria Melhor Atriz em Série Limitada. Em seu discurso, agradeceu ao ex-marido e pai de suas filhas, o empresário Justin Hakuta, pelo apoio constante na vida familiar e em sua carreira. Segundo a artista, Justin é seu melhor amigo e o motivo pelo qual ela pode ser uma mãe trabalhadora.


O agradecimento emocionado de Ali Wong fez muitas pessoas lembrarem do discurso também emocionado de Ryan Gosling ao receber a estatueta de Melhor Ator em Comédia ou Musical na edição de 2017. O artista agradeceu à esposa e mãe de suas filhas, a também atriz Eva Mendes, por ter dado conta dos cuidados com a família enquanto ele filmava Laland. Sem isso, disse o ator, aquela experiência profissional não teria sido possível.


Apesar da conexão traçada entre esses agradecimentos, existe uma importante diferença entre eles. O reconhecimento público de Ali Wong ao apoio do (ex-)marido é esperado das mulheres. Mas o apoio ativo do companheiro com a casa, a maternagem e a carreira da (ex-)esposa não é algo que se espera dos homens em geral. Já o apoio ativo da esposa (noiva ou namorada) com a casa, a maternagem e a carreira do marido (noivo ou namorado) é uma expectativa em relação às mulheres. Enquanto o reconhecimento público desse apoio por parte do companheiro não é tão comum.


Ou seja, o apoio recebido por Ali Wong é uma exceção, enquanto o apoio recebido por Ryan Gosling é a regra. Quantas mulheres comprometem carreira, renda, tempo e até seu bem-estar para embarcar nos objetivos dos homens que amam e que, muitas vezes, são ou se tornam pais de seus filhos? Mas quantos homens fazem o mesmo?


Quando se trata de ceder em prol do/a companheiro/a, existe a expectativa social de que mulheres sejam mais generosas, como se esse nível de altruísmo constante fizesse parte das atribuições femininas dentro do relacionamento. Ao olharmos para os casos empíricos, o número de mulheres que se comportam como maior apoio da pessoa amada é alto. Já entre homens, tal generosidade costuma ser bem mais rara, encarada como excepcional e digna de reconhecimento público.

Por mais que, a nível individual, seja bonito estar disposto/a a servir de amparo para pessoa amada em momentos em que ela precisa focar em outros aspectos da vida, há uma disparidade muito grande dessa consideração entre homens e mulheres. Espero que histórias como a de Ali Wong possam se tornar mais comuns e que as mulheres que precisaram agir como Eva Mendes em relação a Ryan Gosling tenham o merecido apreço e a devida retribuição daqueles que amam.


Dito de outro modo, espero que possamos vivenciar uma realidade na qual mulheres sobrecarregadas ou negligenciadas deem lugar a companheiros que saibam de fato amparar aquelas que dizem que amam. E que esse amparo seja visto como necessário para qualquer relacionamento saudável, em vez de um mérito individual que apenas alguns (poucos) homens “iluminados” conseguem colocar em prática.


----


Gostou desse artigo? Acompanhe o Nota de rodapé para mais discussões.


Confira aqui o post sobre a diferença entre esses discursos de agradecimento em formato compacto.


Essa e outras temáticas são melhor exploradas na tese de doutorado.



4 visualizações0 comentário
bottom of page